Histórias dos Colaboradores

EDUARDO JOSE FRANCISCO

Oportunidades

Confira a história do colaborador Eduardo Jose Francisco - Blumenau/SC.

Comecei minha vida profissional com curso de menor aprendiz no SENAI em 1998 e, três meses após o inicio, consegui uma vaga para trabalhar meio período em uma usina de açúcar e álcool de grande porte.

Como aprendiz de mecânico de manutenção industrial, tive meu primeiro contato com a marca WEG e, o que me chamou a atenção, foi que na grande maioria dos equipamentos os motores eram fabricados pela empresa.

Com o passar do tempo acabei vindo trabalhar em Blumenau e acabei conhecendo a WTD. Um ano e meio depois consegui emprego como mecânico de manutenção. Já com uma bagagem de conhecimentos adquirida com cursos técnicos, certo dia, já no ultimo dia para inscrição, um colega me deu um toque sobre uma vaga aberta para trabalhar em Métodos e Processos, na qual consegui ser aprovado.

Após ter trabalhado três anos nesta função, o Gerente de produção me convidou para ser chefe da recém criada seção de radiadores. Estou há 10 anos nesta empresa e sinto orgulho de trabalhar aqui. Realizei conquistas não só profissionais, mas também pessoais, como minha casa, minhas filhas e também o aperfeiçoamento profissional com a faculdade de Engenharia Mecânica, na qual a empresa é incentivadora.

Aos colegas, quando conversamos sobre a empresa, digo sempre a mesma coisa: “A WEG é uma empresa de oportunidades”.

DERLI ARLEI MASSIRER

Minha história na WEG se confunde com o a evolução dos sistemas de engenharia

Confira a história do colaborador Derli Arlei Massirer - Jaraguá do Sul/SC.

Minha história na WEG se confunde com o a evolução dos sistemas de Engenharia. Em 1995, a lista técnica de materiais era em papel vegetal e preenchida com caneta nanquim. Utilizavam-se lâminas de barbear para raspar o nanquim.

Estagiário, idealizei automatizar a criação da lista técnica com base em características, porém optou-se por algo mais simples, uma lista básica e uma lista de componentes especiais.

Em 1996, já contratado, informatizei o processo de geração de listas técnicas usando Data Flex. Em 1999, decidiu-se que WMO e WM iriam desenvolver seu próprio sistema PDM (Product Data Managment) e coincidiu com a implantação do SASO (Sales Software), viabilizando o processo de Estruturação Automática. Brincadeiras a parte, PDM foi apelidado de “Programa de Demissão em Massa”, dado o impacto em produtividade.

Em 2006 iniciou o projeto WIS. Constatou-se que o SAP não possui a solução adequada para engenharia. Optou-se por implementar o diferencial da engenharia em produtividade. No lugar do PDM criou-se o ZBOM, hoje utilizado na WMO, WM e com potencial para WAU e WTD.

Hoje sou chefe da Seção Administração de Produtos, do Depto Engenharia de Produto. Uma crença que eu tenho é que a WEG cresce porque conta com as pessoas certas nos momentos certos, e assim “A gente cresce com a WEG”.

CHARLES ANDREY TOMASELLI

A Gente Cresce com a WEG

Confira a história do colaborador Charles Andrey Tomaselli - Guaramirim/SC.

Desde pequeno ouvia dos meus parentes e dos meus pais, que a WEG era a melhor empresa para trabalhar. Pois quando surgiu a inscrição para a escolhida da WEG (CentroWEG), fiz a inscriçã. Após ficar muitas noites estudando para o teste, recebi a notícia que tinha passado. Foi uma grande emoção

Como para mim ficava difícil pegar ônibus, pois passava longe da minha casa, seria uma opção ir de bicicleta. Mas que bicicleta? Até que então a minha vó tinha uma velha bicicleta no rancho dela. Pedi a bicicleta emprestada. Fiz uma pequena revisão e já fui trabalhar com ela.

Com o passar do tempo trabalhando na WEG tive a oportunidade de comprar uma bicicleta melhor, mas nunca parei de estudar. Estudei bacharelado em Química durante dois anos. Devido à troca de setor na empresa e outros motivos, atualmente trabalho em custos, e tranquei o curso de Química. Atualmente estou cursando Ciências Contábeis. Pretendo logo me formar.

ADEMIR ZIMMER SCHEEREN

WEG: Uma escolha que mudou a minha Vida

Confira a história do colaborador Ademir Zimmer Scheeren - Jaraguá do Sul/SC.

Conheci a WEG ao ingressar no curso Técnico CTISM (Santa Maria/RS).  Fiz meu estágio na empresa. Passei dificuldades, principalmente financeira, pois todas as minhas reservas tinham sido gastas na passagem de Santa Maria até aqui.

 A WEG, como uma grande Mãe me acolheu, mas a moradia ainda era um grande problema. Com o auxílio da empresa consegui alugar, juntamente com outros cinco rapazes, um apartamento. Esta ajuda da WEG viabilizou a minha permanência aqui para realização do estágio.

Hoje percebo quão grande é o coração da WEG. Como fruto de meu trabalho, fui efetivado em 19 de julho de 2004 e, a partir deste momento, comecei efetivamente a construir a minha vida como um todo.

 Tendo sempre em mente metas pessoais, cresci com a WEG: investi em um apartamento, casei, comprei um carro, estou cursando Engenharia Mecânica com o auxílio da empresa. É muito gratificante trabalhar nesta grande equipe que é a WEG.

 Assim como a WEG, continuo tendo metas para o meu futuro: Continuar a estudar após a engenharia (graduação), eu e minha esposa pretendemos ter filhos e, na WEG, fazer da ética, comprometimento, educação e conhecimento os pilares para uma vida repleta de realizações, surpresas e satisfação.

 Crescer com a WEG para mim é assim… Chegar, continuar e nunca mais esquecer…

VALDETE MENDONCA PICCOLI

WEG: Empresa Humana

Confira a história da colaboradora Valdete Mendonça Piccoli - Jaraguá do Sul/SC.

Estou há 16 anos nesta empresa maravilhosa. Antes da WEG, eu só tinha experiência em comércio e a minha adaptação aqui foi um pouco difícil, mas com o passar do tempo fui adquirindo experiência e confiança. Tive o incentivo da WEG para fazer o curso Técnico e aos poucos fui conquistando o meu espaço.

Há cinco anos estou em tratamento contra o câncer, tenho ao meu lado uma família abençoada, ou seja, duas, porque a WEG mais uma vez está do meu lado, sendo muito humana através de uma equipe maravilhosa composta de pessoas especiais, como minha chefe, meu gerente, enfermeiras, nutricionistas e psicólogas.

Mesmo afastada, continuo mantendo contato com a minha equipe. Moro nos fundos da WEG I e sempre que tenho saudade dos meus amigos as portas estão sempre abertas para visitá-los. Vou na minha seção praticamente toda semana. Aqui eu encontro muita energia positiva, sou bem vinda e conto os dias para voltar ao trabalho. 

Na minha seção há deficientes auditivos trabalhando e fiquei fascinada para aprender libras. Fiz um curso e quero me aperfeiçoar para um dia poder contribuir como intérprete. Tenho muitos objetivos e sonhos e a WEG está sempre neles. Parabéns WEG pelos 50 anos e obrigada por fazer parte da minha história, da minha vida.

PIERRE FELIPE PANSTEIN BATISTA

CTW – Lições para uma vida

Confira a história do colaborador Pierre Felipe Panstein Batista - Jaraguá do Sul/SC.

Quando tinha 15 anos, o sonho de minha mãe era que eu fosse aprovado na “Escolinha da WEG”. Como tenho alguns tios que passaram pelo CTW, fiz uma pesquisa entre os familiares e uma tia convenceu-me a fazer a inscrição para o Curso de Eletrotécnica.

Fiz a inscrição, passei por todo o processo de seleção e, com muita alegria, recebi a notícia de que havia sido selecionado. No CTW fiz o curso de “Iniciação à Automação Industrial”, que me proporcionou muitos aprendizados, mas com certeza o maior deles foi a trabalhar em equipe.

Quando surgiu a oportunidade de participar da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia, na USP, eu e dois colegas (Geison Zanluca e Jean Muller) formamos uma equipe, desenvolvemos um Outdoor com quatro faces (Tetraedro), participamos da seleção interna, com diversos projetos do CTW e fomos selecionados dentre os projetos.

Submetemos então nosso projeto à avaliação dos organizadores da feira e no dia 31 de dezembro de 2005 recebi a notícia que havíamos sido selecionados pela USP para participar da FEBRACE.

Com certeza, essa alegria não seria possível sem o apoio da WEG e ao longo destes sete anos que estou na empresa, sempre procuro lembrar-me das lições aprendidas na época do CTW e da importância dele em minha vida.

MARCELO HAAS CENTURIAO

WEG, noticia nacional

Confira a história do colaborador Marcelo Haas Centuriao - Jaraguá do Sul/SC.

O ano era 1997. Eu morava em Santa Maria, no RS, e nunca havia escutado nada sobre a WEG. Eu estava no segundo ano do Ensino Médio e no segundo ano da escola técnica de Santa Maria. Era um final de semana de inverno e eu estava tomando chimarrão com meus pais e lendo uma revista de circulação nacional.

Lembro que li a respeito de uma empresa brasileira que estava em expansão e que havia mandado um de seus executivos para a Europa, mais precisamente para a Alemanha. Aquilo me chamou a atenção. Resolvi tentar o contato com a empresa e depois de alguns telefonemas consegui um “Estágio de férias não remunerado”.

Em resumo, fiquei dois meses de minhas férias trabalhando na manutenção da Fábrica II, em pleno verão. Eu tinha 16 para 17 anos, e um verão custava caro naquela época. Um ano depois, já com o primeiro contato com a empresa e formado no colégio técnico, consegui um emprego efetivo no setor de Engenharia Mecânica da WEG Motores.

Fiquei um ano trabalhando e resolvi voltar para Santa Maria e cursar Engenharia Mecânica na UFSM. Conclui o curso em 2005 e, em 2007, regressei a WEG, na engenharia da WMO.

Estou aqui até hoje. Atualmente estou na Índia, a serviço da WEG, e continuo crescendo com ela, porque vai que um dia eu apareça em uma revista e um garoto lá de longe veja.

LAIR APARECIDA SCHMIDT

Minha história com a WEG

Confira a história da colaboradora Lair Aparecida Schmidt - Jaraguá do Sul/SC.

Sinto-me muito orgulhosa em falar da WEG.  Há muitos anos, vim somente acompanhar uma colega para fazer ficha na empresa. Na época, A WEG já era tão grande que eu pensava: “Imagina trabalhar aí dentro dessa cidade”.

Decidi na hora fazer ficha também. No final das contas, eu fui chamada para trabalhar aqui e infelizmente ela não. Depois que comecei a trabalhar aqui pensei que se ficasse cinco anos já seria uma grande conquista.

Trabalhei três anos na produção e depois fui para o PCP, onde executei diferentes funções e trabalho até hoje. Conheci muitas pessoas, tive vários chefes e fiz muitas amizades, algumas delas eternas. Os anos foram passando e em 2010completei 25 anos de empresa. A festa dos 25 anos foi e será pra mim sempre inesquecível.

Falo para todos da grande emoção que senti neste dia. Outra coisa interessante que ocorreu em 10 de junho de 2011: Nosso diretor, Sr. Reinaldo, mostrou o quanto é humilde e foi almoçar no refeitório com os colaboradores do PCP da WAU.

Essa é uma pequena parte da minha história na WEG e tenho muito orgulho em participar dela.

JORGE LUIS MORALES GULARTE

Escola WEG

Confira a história do colaborador Jorge Luis Morales Gularte – Jaraguá do Sul/SC.

Cheguei a Jaraguá do Sul em 1985, por convite do meu amigo Valdir Bruch, para fazer um curso de assistente técnico de motores. Fiquei fascinado pela simplicidade do povo e da cidade, logo me identificando pela semelhança com a minha terra natal. Alguns dias depois, retornei a Jaraguá do Sul já contratado para trabalhar na então Engenharia de Produtos da WEG Máquinas.

O primeiro projeto era sempre feito à mão, o que demandava mais ou menos dois meses de cálculos para depois comparar com o resultado do mesmo projeto feito no computador em mais ou menos cinco minutos. Acompanhava a fabricação e os ensaios na fábrica e conhecia os colaboradores pelo nome.

Em 1998 mudei para a Assistência Técnica, conhecendo mais das aplicações dos motores. Durante este período, cresci muito com meus erros e acertos na tentativa de resolução dos problemas de campo.

Desde o ano de 2000, trabalho em Marketing desenvolvendo manuais e materiais técnicos dos produtos da WEG Energia.

Tenho orgulho de comemorar 25 anos de empresa no ano do cinquentenário da WEG, que foi e continua sendo uma grande escola para mim. Foi na WEG que conheci Rosângela (minha esposa), fiz muitos amigos e aprendi valores como justiça, humildade e comprometimento, que hoje tento passar para meus filhos (Rodrigo e Izabella).

OSVAIR DA SILVA

Trabalhar e estudar

Confira a história do colaborador Osvair da Silva – Jaraguá do Sul/SC.

Meu primeiro trabalho dentro da WEG começou no ano de 2007 no setor de Estamparia. Naquela época os meus estudos não eram o suficiente para que eu pudesse ter êxito em uma função mais adequada. Notei que eu teria que voltar aos estudos.

Fui transferido para a WEG Máquinas. As coisas começaram a fluir melhor. Hoje, aos 45 anos de idade, estou tendo a oportunidade de trabalhar e estudar na empresa. Ao terminar meus estudos vou cursar uma faculdade para que eu possa continuar crescendo junto com a empresa.

Garantir o meu futuro e ajudar os que estão à minha volta.